Páginas

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

É IDEAL VIVERMOS EM UMA SOCIEDADE DE “VELE TUDO”?

Não conheceríamos o que é errado se não soubéssemos o que é certo. A maneira como vivemos hoje é consequência do que aprendemos, e assim também foi com os nossos pais, e com seus pais, e assim sucessivamente. A falta de princípios para muitos têm gerado na sociedade uma enfermidade mortal com consequências terríveis. A Palavra de Deus diz "Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo." (1Co.3:11)
O mundo pode por todos os lados e meios tentar mudar determinados valores, contudo, sem ser radical, e muito menos liberal, continuaremos irredutíveis, transmitindo os princípios imutáveis da Palavra de Deus. Não é cabível de aceitação que a sociedade viva em uma realidade de Vale Tudo, aonde venha permear na educação verdades relativas. O que se aprova na sociedade não pode estar embasado nos prazeres e sentimentos do homem, mas na Verdade de Deus, e a mesma não é massa de manobra.
Afinal, em que se baseiam os princípios de uma sociedade? O que dita as regras, norteando para uma tomada de decisão? Se disser nenhum, logo vivemos em uma terra de Vale Tudo. Se disser que é variável, pois depende da época e as diversas mudanças que a sociedade enfrenta constantemente, logo, corre-se o risco de valores inapropriados serem aceitos, contrariando o que entendemos ser de fato necessário.
Talvez, há quem diga que isso é um discurso religioso, um tanto preconceituoso. Não, absolutamente não. Só entendemos ser necessário a preservação de valores permanentes e que são imutáveis, para qualquer época, ou situação. Imaginemos uma terra sem leis, ou, que as mesmas fossem constantemente mudadas segundo o bel prazer de seus moradores. Seria catastrófico. Não podemos chegar ao ponto de agir como diz o texto no Livro de Juízes: "Naqueles dias, não havia rei em Israel, porém cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos." (Jz.21:25)
As leis que por muitos anos seguem, tiveram seu início fundamentadas em algum conceito. Leis morais que são universais, tais como, não matarás, não roubarás, entre outras, são princípios provenientes do Próprio Deus. Acontece que, em relação aos padrões morais revelado na Palavra de Deus, não temos o direito de dizer que parcialmente está certo, e parte errado, ou ainda, o desejo de aceitar uma parte e rejeitar outra. Fazer isso é o mesmo que dizer que Deus não sabe o que é melhor para nós, e que nem tudo o que Ele requer é realmente necessário, isto é, uma rejeição ao próprio Deus.
Precisamos fazes o que diz a Palavra do Senhor escrita na Carta aos Hebreus que diz: "Por isso é preciso que prestemos maior atenção ao que temos ouvido, para que jamais nos desviemos." (Hb.2:1)
Para quem não acredita na Bíblia como revelação da vontade de Deus, a única coisa que lhe resta é conduzir a sua vida como bem desejar, contudo, tendo em mente, que A Verdade não depende da aceitação de alguém para que seja de fato verdade, independentemente de qualquer coisa, a Verdade de Deus permanece para sempre. Está escrito: "Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal! Que fazem da escuridade luz, e da luz, escuridade, e fazem do amargo doce, e do doce, amargo!" (Is.5:20)
Portanto, se quisermos que a sociedade viva mantendo preceitos e valores corretos, para todos os diversos segmentos, seja para família, juventude, no âmbito relacional, e demais, precisamos analisar as Verdades imutáveis que se encontram na Palavra de Deus, e com esse respaldo manter o bem para toda sociedade. Como diz em Salmos 11:3 "Quando os fundamentos estão sendo destruídos, que pode fazer o justo?" Caso contrário, viveremos em uma sociedade de Vale Tudo.
Que Deus tenha misericórdia de todos nós.

Um comentário: